Coopeco recebe máquina de reciclagem de isopor

Com equipamento, processo de reciclagem do material se tornará mais eficiente; recepção do resíduo será feita pela Ascam a partir dos Ecopontos

A Coopeco (Cooperativa Ecologicamente Correta de Materiais Recicláveis de Bauru) passa a contar a partir desta quinta-feira (27/08) com equipamento para reciclagem de isopor.
A máquina, adquirida em parceria de comodato com a empresa de gerenciamento de resíduos recicláveis Santa Luzia/Proecologic, tornará mais eficiente o processo de reciclagem do isopor no município.
A Ascam (Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Bauru e Região) cuidará do gerenciamento da recepção do material nos oito Ecopontos da cidade.
Atualmente, o isopor que chega aos Ecopontos e posteriormente é encaminhado às cooperativas é acumulado nos barracões. Quando atinge volume considerado expressivo por indústrias de transformação é que a carga é retirada pelo comprador. Como o material é leve, esse acúmulo pode levar meses.
“Por ser um material volumoso, o isopor ocupa muito espaço na cooperativa, além de ser um material altamente inflamável. Isso é um perigo”, explica Gisele Moretti, presidente da Ascam.
Com o equipamento, o isopor será compactado mecanicamente, extraindo-se o ar e mantendo o material sintético, o que facilita sua armazenagem e seu transporte. Isso também torna a carga mais atraente à indústria da transformação, facilitando a comercialização.
“Hoje, existe uma demanda muito grande de isopor, mas muitas empresas estão mandando para os aterros por não conseguirem descartar. Com o equipamento, vamos poder captar grande volume de material e daremos outro destino para ele”, afirma Gisele.
O isopor é composto por poliestireno, material sintético e atóxico proveniente do petróleo e que tem o ar como principal componente. Por não conter clorofluorcarbonetos em sua composição, é totalmente reciclável e pode ser descartado junto com o plástico comum.
Por outro lado, quando descartado no meio ambiente, o isopor provoca a poluição do solo e da água até que a sua decomposição, que leva séculos, se complete. Com a reciclagem, o material pode ser transformado em óleo ou gases, deixando de se acumular nos aterros e servindo de matéria prima para a indústria da transformação.
Por conta de todos os benefícios que serão proporcionados ao meio ambiente, aos profissionais envolvidos com a reciclagem e seu caráter inédito, o início da operação da máquina de reciclagem de isopor é considerado um grande marco para Bauru. “Estamos muito felizes com essa conquista”, conclui Gisele

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.